Anjos da Noite: O que há de positivo e negativo nos filmes da franquia?

Anjos da Noite: O que há de positivo e negativo nos filmes da franquia?

Há algum tempo aqui no site, fizemos uma análise dos filmes de Resident Evil e agora chegou a hora de falar de uma espécie de saga irmã, que como os filmes baseados no jogo de horror da Capcom, tem a mesma quantidade de fãs e haters.

Sim hoje é o dia de falar da franquia Underworld ou como ficou conhecida no Brasil, Anjos da Noite, a saga de filmes de ação e horror estrelada pela vampira guerreira Selene.

Anjos da Noite – 2003

Anjos da Noite - 2003

A ideia para o que seria Anjos da Noite surgiu da mente Len Wiseman, que é o principal diretor e roteirista da saga, apesar que na época do lançamento do primeiro filme rolou um processo, com o longa sendo acusado de plagiar os RPGs Vampiro: A Máscara e Lobisomem: O Apocalipse. A situação foi resolvida em sigilo, mas isso parece indicar que Wiseman e cia não foram tão originais assim quando conceberam a obra.

Bem, nesse primeiro filme da série temos como protagonista a vampira Selene, que seria vivida em todos os longas por Kate Beckinsale, papel que marcaria a sua carreira. Selene não é uma vampira comum e sim uma “Mercadora da Morte”, uma guerreira especialista em lutar contra lobisomens, mas comumente chamados de Lycans na série de filmes.

Sem que a humanidade saiba, os vampiros e lycans existem há séculos e estão em uma perpétua guerra, que ao que parece está perto do fim, pois os lobisomens estariam quase extintos.

Selene descobre que os lycans estão atrás de um humano chamado Michael Corvin (Scott Speedman) e depois de um tempo, ela toma conhecimento do motivo: Corvin seria um descendente direto de Corvinus, a linhagem que teria gerado o primeiro vampiro e o primeiro lobisomem.

O sangue de Michael é necessário para os planos dos lycans, que ao contrário do que se acreditava ainda são liderados pelo lycan ancestral dado como morto á séculos, Lucian (Michael Sheen), este que supostamente teria sido derrotado por Kraven (Shane Brolly), o atual líder dos vampiros.

Sentindo uma conspiração no ar, Selene desperta o vampiro ancião e sua figura paterna Viktor (Bill Nighy), buscando a ajuda do mesmo, porém irão ocorrer traições, batalhas e mortes que irão resultar em Michael se tornando um híbrido de vampiro e lycan e, Selene por sua vez uma pária, sendo caçada pelas as duas raças.

Com direção do próprio Wiseman, esse primeiro Anjos da Noite é considerado o melhor da franquia, por estabelecer o universo e os seus elementos, mostrando uma visão de vampiros e lobisomens mais puxada para a ficção científica do que para o habitual horror sobrenatural.

O longa fez um sucesso bem grande de bilheteria, mas desagradou a maioria dos críticos, porém alguns elogiaram o visual gótico e a escolha de Beckinsale como protagonista. Bem, como o filme fez sucesso, era evidente que uma sequencia iria surgir.

Anjos da Noite: A Evolução – 2006

Anjos da Noite: A Evolução - 2006

O segundo filme da série começa exatamente de onde o primeiro acabou e, mostra Selene e Michael fugindo para conseguirem sobreviver e dando início á um romance no processo.

O inimigo da vez é o vampiro original Markus Corvinus (Tony Curran), que os caça, pois acredita que Selene tem informações que o ajudem a encontrar o seu irmão William, que por sua vez foi o primeiro lobisomem.

Dirigido novamente por Wiseman esse segundo Anjos da Noite expande um pouco mais o universo da série e da maiores vislumbres sobre o passado, além de explicar a origem das duas raças. Porém apesar de ter algumas sequências de ação interessantes, o longa é inferior ao primeiro em vários aspectos, principalmente em roteiro. Mesmo com esses problemas, a obra se saiu bem nas bilheterias.

Anjos da Noite: A Rebelião – 2009

Anjos da Noite: A Rebelião - 2009

Apesar de ser considerado um filme desnecessário por parte da crítica, Anjos da Noite: A Rebelião acabou se tornando ironicamente um dos melhores longas das série (na minha opinião).

O filme é um prelúdio, mostrando como a guerra entre lycans e vampiros teve início, pois apesar disso já ter sido explicado no primeiro filme da série, aqui é feito com maiores detalhes. E sim, por ser uma prequel, ele não conta com a presença de Selene, tendo como protagonista, um dos antagonistas do longa original, Lucian, mais uma vez vivido por Michael Sheen.

Na trama Lucian foi o primeiro lobisomem com a capacidade de raciocinar e voltar a sua forma humana, que logo foi seguido por outros do mesmo tipo. Vendo isso, os vampiros transformaram os lycans em seus escravos, usando os mesmos para mão de obra e defesa de suas fortalezas. A servidão durou por muito tempo, mas acabou graças ao amor proibido entre Lucian e a vampira Sonja (Rhona Mitra), filha de ninguém mais do que Viktor, sim o mesmo vampiro ancião do primeiro filme.

Ao saber que Sonja estava grávida de um ser híbrido, Viktor condenou sua própria filha á morte, o que fez Lucian desejando vingança liderar a revolta dos lycans, dando assim início ao conflito que duraria séculos.

O longa dirigido por Patrick Tatopoulos se destacou dos demais, por ter um roteiro um pouco melhor trabalhado e por mostrar os lobisomens como os heróis da história pela primeira vez. Pena, que daqui pra frente, a série só decai, mas estou me adiantando.

Anjos da Noite: O Despertar – 2012

Anjos da Noite: O Despertar - 2012

O quarto filme da série, coloca novamente Selene como protagonista e tem uma premissa bem interessante: A humanidade descobriu a existência dos vampiros e lycans e as formas de combatê-los, fazendo ocorrer um verdadeiro genocídio das duas espécies. Após ser capturada e ficar doze anos em hibernação, Selene desperta e descobre que tem uma filha chamada Eve (India Eisley) e a que a menina híbrida como o seu pai Michael, é parte de um plano dos lycans, que não estão tão extintos quanto se imaginava. Contando com ajuda do vampiro David (Theo James) e do policial humano Sebastian (Michael Ealy), Selena irá lutar para salvar a sua família.

Com direção de Måns Mårlind e Björn Stein, o quarto filme da série, tinha tudo para ser um dos melhores, talvez mostrando os vampiros e os lycans tendo que finalmente unirem forças contra os humanos, mas resolveram repetir a já velha guerra, impedindo que a série evoluísse.

Mas, o que está ruim, sempre pode piorar e é isso que infelizmente ocorreu no último filme da saga.

Anjos da Noite: Guerras de Sangue – 2016
Anjos da Noite: Guerras de Sangue - 2016

E finalmente foi lançado o último longa da série, que quase chega á ser um remake (inferior, infelizmente), ao primeiro longa.

Como se a descoberta e o genocídio das duas espécies no filme anterior nunca estivesse ocorrido, Selene mais uma vez está sendo caçada pelos membros das duas raças. De um lado ela precisa lidar com a traiçoeira e ambiciosa vampira Semira (Lara Pulver), que tem planos para acabar com a guerra, mas ao mesmo tempo tomar o poder dos vampiros. E do outro, a guerreira enfrenta o novo líder lycan, o brutal Marius (Tobias Menzies). Para vencer essas ameaças e acabar finalmente com a guerra, Selene precisa evoluir para algo ainda mais poderoso.

Bem, a história de Guerras de Sangue não agradou, com o filme sendo considerado pela crítica e até mesmo pelos fãs como o pior de toda a série e um fim medíocre para a mesma, sendo dirigido por Anna Foerster.

E então acabou mesmo?

Bem, Wiseman já demonstrou interesse em fazer novos filmes (ou até mesmo uma série), mas sem a presença de Beckinsale, que deixou claro que não volta mais. Então sim, pode rolar ainda alguma coisa no futuro, se vai ser bom ou não, já é outra história.

E você é fã de Anjos da Noite? Se sim, qual o seu filme favorito da saga? Quer que façam novos filmes? Deixe a sua opinião.

Ver comentários