Cobra Kai: Crítica – por Jonathan Nascimento

Karatê Kid foi um filme de relativo sucesso nos anos 80, que gerou três sequências, um desenho animado e um curioso remake com o Jackie Chan (onde os personagens lutam Kung-Fu, mas isso é outra história).

Porém a nova versão não ganhou sequências e a querida franquia estrelada por Daniel LaRusso (Ralph Macchio) e o Sr. Miyagi (Pat Morita), ficou no limbo.

As coisas mudaram em 2018, quando o YouTube resolveu lançar no seu hoje fracassado serviço de streaming, uma série que servisse de sequência para os filmes clássicos da saga, porém com uma premissa inusitada: ela não seria protagonizada por LaRusso e sim pelo seu rival do filme original, Johnny Lawrence (William Zabka).

A série Cobra Kai, batizada com o nome do dojô dos “vilões” do já citado primeiro filme, acabou se mostrando uma baita surpresa porém não fez muito sucesso graças á baixa popularidade do YouTube Premium, mas isso mudou drasticamente quando a Netflix adquiriu o seriado, fazendo com que a obra tivesse um tardio, porém merecido sucesso.

Agora com o lançamento da aguardada terceira temporada, Cobra Kai está bombando mais do que nunca, mas será que a nova temporada conseguiu fazer justiças as anteriores?

É o que vamos descobrir.

Consequências

É complicado falar de como a nova temporada começa sem soltar um leves spoilers das duas anteriores, então se você ainda não assistiu pare por aqui e volte depois.

Bem, depois da insana briga generalizada no colégio que acabou extremamente mal com um Miguel (Xolo Maridueña), ficando em coma com o risco de ficar paraplégico e Robby (Tanner Buchanan) o responsável pelo condição de Miguel fugindo, a vida não ficou nada fácil para os demais personagens também.

Johnny se culpa pelo ocorrido e passou á tentar se consolar com bebida, Daniel e sua família estão com a reputação manchada e isso começa a afetar os negócios, sem falar nos problemas psicológicos gerados pela briga.

A série começa sombria e com todo mundo para baixo, mas logo mostra que a melhor maneira de superar adversidades é lutando e é isso o que os personagens fazem, apesar que infelizmente um deles acaba se perdendo no caminho.

Mais nostálgica do que nunca

É claro que as duas temporadas anteriores investiam na nostalgia, já que esse é um dos temas centrais do seriado, mas esta extrapola focando bastante nos dois filmes originais (e algumas referências ao terceiro), contando com participações especiais e cenas que podem trazer lágrimas para os fãs da franquia.

Desenvolvimentos inesperados

Mas não foi só em nostalgia que a temporada se apoiou, houve também um ótimo desenvolvimento para a maioria dos personagens, incluindo um bem inesperado, que para alguns até teria “destoado” do resto da série, mas na minha opinião foi muito bem-vindo e fez bastante sentido.

Enfim…

Felizmente para nós a terceira temporada conseguiu manter a qualidade das anteriores, é claro que ela tem um deslize ou outro (é necessário alguma suspensão de descrença para algumas das situações meio improváveis), mas no geral foi sim uma boa temporada.

Agora só nos resta esperar pela próxima e torcer que ela também mantenha a qualidade e venha cheia de surpresas como essa.

E você já assistiu a série? Gostou dos novos episódios? Deixe a sua opinião.

Ver comentários