Adiamento de James Bond: No Time To Die custará US$ 30 Milhões ao estúdio

Adiamento de James Bond: No Time To Die custará US$ 30 Milhões ao estúdio

Recentemente foi anunciado que a MGM, a Universal e os produtores de James Bond estariam adiando o filme No Time To Die até novembro devido ao impacto do coronavírus. A estreias que estavam previstas para 10 de abril, acabaram sendo adiadas até o final do ano. Com esse atraso, a MGM enfrenta um custo de US$ 30 milhões.

De acordo com o The Hollywood Reporter, o número que a MGM perderá pode variar entre US$ 30 e US 50 milhões, pressionando No Time To Die nos próximos sete meses. O marketing do filme estava apenas começando a ser lançado com força total, mas já produziu peças promocionais significativas. A decisão de marketing mais importante tomada antes do adiamento foi um comercial durante o Superbowl que custou US$ 4,5 milhões.

O coronavírus está cobrando seu preço no mercado em todo o mundo, mas principalmente na Ásia e na Europa. Países como Japão, Itália e China fecharam seus cinemas, entre outros. A famosa China fechou mais de 70.000 teatros desde janeiro e não tem planos de se abrir tão cedo enquanto o vírus continuar afetando o país. A China, embora não seja o maior país a contribuir para o sucesso de James Bond, ainda é um influente importante nas bilheterias.

Ver comentários