Adaptações obscuras de animes

Adaptações obscuras de animes

Quando se pensa em adaptações de animes para o live-action hoje em dia, o pessoal pode lembrar logo de cara do ótimo Alita: Anjo de Combate ou do nada ótimo Death Note da Netflix, mas essas são produções recentes e bem conhecidas, mas não se enganem, existem adaptações de animes bem obscuras, algumas delas sendo até mesmo de animes famosos.

Sendo assim, aqui iremos falar de cinco desses filmes que foram adaptados de animes/mangás mas não são lá muito famosos, sejam por serem muito obscuros ou simplesmente ruins demais.

Dragon Ball – The Magic Begins (1991)

Quando se pensa em filme live-action de Dragon Ball, todos se lembram logo do famigerado Dragonball Evolution de 2009, mas não se enganem, este não foi o primeiro filme á tentar adaptar a famosa obra de Akira Toriyama, pois em 1991 foi lançado Dragon Ball: The Magic Begins, uma obscura produção de Taiwan dirigido por Joe Chan e Jun Leung.

O estranho filme de baixo orçamento, tenta adaptar as primeiras fases do mangá, com resultados no mínimo bizarros. Contando com o ator Charles Chen vivendo uma não menos esquisita versão de Son Goku.

Realmente Dragonball Evolution não é o único filme ruim do famoso animangá.

City Hunter (1993)

Lançado em 1993, City Hunter parece ser só mais um filme da longa carreira de Jackie Chan, sendo também uma adaptação de um mangá.

Criação de Tsukasa Hojo, City Hunter é um mangá de ação, comédia e romance, que começou á sair na Shonen Jump em 1985.

Em 87, ganhou uma versão em anime que é bastante popular na Ásia e na Europa (principalmente na França).

Apesar de nunca ter chegado ao Brasil de forma oficial, City Hunter tem até um bom número de fãs por aqui.

A obra tem como protagonista Ryo Saeba, uma espécie de mercenário muito bom em artes marciais e, também um atirador como uma mira quase sobrenatural.

Ele conta com a ajuda de sua assistente Kaori Makimura, que vive tendo crises de ciúme, já que Ryo é um completo tarado por tudo quanto é mulher.

No filme dirigido por Jing Wong, Saeba (Chan) e Kaori (vivida por Joey Wong) vão parar em um cruzeiro de luxo que é atacado por terroristas, rendendo assim muitas cenas de luta (e humor).

E sim, esse é o filme onde Jackie Chan faz um bizarro cosplay de Chun-Li.

City Hunter tem outras produções com atores reais originárias da China, Coreia do Sul e a já citada França.

O Guerreiro da Estrela Polar (1995)

Como City Hunter, outro animangá muito famoso e aclamado no Japão, mas nem tanto por nossas bandas é Hokuto no Ken, também conhecido no ocidente como Fist of North Star.

Em um mundo devastado por uma guerra nuclear, surge Kenshiro, herdeiro da arte marcial, assassina Hokuto Shinken.

Kenshiro está uma jornada de vingança contra o seu ex-melhor amigo Shin, que quase o matou no passado e tomou para si a noiva de Kenshiro, Yuria.

Agora ele fará de tudo para tê-la de volta, mesmo que para isso tenha que matar todas as gangues de punks que cruzarem o seu caminho.

Criação de Yoshiyuki Okamura (mais conhecido como Buronson) e Tetsuo Hara, Hokuto no Ken é praticamente o que aconteceria se Mad Max fosse protagonizado por um Bruce Lee vingativo.

O mangá que surgiu em 1983, é um grande sucesso até hoje no Japão e apesar de ter fãs aqui no Brasil, só agora a editora JBC o está trazendo em uma coleção bem caprichada.

O filme live-action de 1995, é estrelado por Gary Daniels, tendo Costas Mandylor como Shin e Isako Washio no papel de Yuria.

Dirigido por Tony Randel, o filme até tenta adaptar a primeira saga do mangá, mas falha totalmente, sendo praticamente inassistível por ser muito ruim, o que é uma pena, já que Hokuto no Ken é uma história muito boa.

A História de Ricky (1991)

Com certeza é o filme mais obscuro da lista, já que o seu mangá também é desconhecido por boa parte do público.

Como Hokuto no Ken, Riki-Oh também se passa em um mundo pós-apocalíptico e tem como protagonista Saiga Riki-Oh, que é um lutador que extermina os seus inimigos usando ataques (e força) sobre-humanos.

Riki acaba em uma prisão de segurança máxima e lá tem que enfrentar inimigos extremamente poderosos.

Riki-Oh é criação de Masahiko Takajo e Tetsuya Saruwatari, e surgiu como mangá em 1987.

Mais tarde ganhou OVAs e a produção live-action.

O filme em questão, foi lançado em 1991 e tem Lam Nai-choi como diretor e Siu-Wong Fan no papel principal.

O longa adapta com fidelidade a trama do mangá (e também a sua violência, sendo um filme extremamente sanguinolento).

Mesmo sendo obscuro, boa parte crítica surpreendentemente gosta desse longa.

Jojo’s Bizarre Adventure: Diamond is Unbreakable – Capítulo 1 (2017)

Sim, temos um filme de Jojo’s Bizarre Adventure na lista.

Criação de Hirohiko Araki, JoJo no Kimyo na Boken também conhecido como JoJo’s Bizarre Adventure é um mangá de ação, comédia (e até um pouco de terror), lançado originalmente em 1987.

A trama gira em torno da família Joestar e seus descendentes que se utilizam de poderes especiais, chamados Hamon e Stands, para combaterem diversos vilões no decorrer das décadas.

Pra quem não conhece o universo de JoJo, Hamon é uma energia espiritual “parecida” com o Ki de Dragon Ball, já os Stands são manifestações físicas (humanoides ou não) também da energia espiritual de seus usuários.

Jotaro Kujo por exemplo, tem o guerreiro Star Platinum como Stand, já o stand de uma das vilãs chamada Mariah, que tem poderes magnéticos, se manifesta como uma tomada.

Apesar do mangá ser antigo, JoJo se popularizou nos últimos tempos, graças a uma recente adaptação em anime.

Lançado em 2017, Jojo's Bizarre Adventure: Diamond is Unbreakable - Capítulo 1 é o primeiro filme com atores reais da franquia e, curiosamente eles resolveram começar pela quarta parte da história, provavelmente por ser mais “japonesa” do que as anteriores.

Na trama do filme, que segue bem parecida com a do mangá/anime Josuke Higashikata (Kento Yamazaki), filho ilegitimo de Joseph Joestar (protagonista da parte 2), se une á Jotaro Kujo (Yusuke Iseya), neto de Joseph e personagem principal da parte 3, para investigar o aumento estranho de usuários de stands na cidade natal de Josuke, a pequena Morioh.

Dirigido por Takashi Miike o filme se mantém fiel, mas mesmo assim, acabou não se saindo tão bem por causa da decisão de dividi-lo em partes. E pelos resultados na bilheterias não terem sido os esperados, é justo dizer que talvez a parte 2 nunca venha.

Mesmo com o mangá e o anime de JoJo sendo tão populares agora, nem todo mundo conhece o filme live-action, fazendo sim que ele se torne um tanto obscuro.

-

E é isso, esses são alguns dos filmes obscuros (alguns mais, outro menos) que são adaptações de mangás/animes.

Já assistiu algum? Comente.

Gosta do CineVício? Também estamos no Instagram e Facebook, siga-nos por lá e receba nosso conteúdo direto na sua rede social.
Ver comentários