!!Metrópolis!! – Um Filme Atemporal

Baseado no livro homônimo de Thea von Harbou, Metrópolis é um impactante filme mudo e em preto e branco de 1927.

O ano é 2026 e existe uma grandiosa e impressionante cidade chamada simplesmente de Metrópolis. Metrópolis foi erguida com o trabalho escravo de uma classe operária que vive nos subterrâneos, longe da beleza e grandeza da cidade acima. Freder Fredersen (Gustav Fröhlich) é o jovem filho de um dos principais senhores de Metrópolis, mas ao contrário do pai, ele deseja ajudar as pessoas escravizadas.

LEIA MAIS:

Uma jovem chamada Maria (Brigitte Helm), que é quase uma santa para os trabalhadores tem os mesmos objetivos de Freder e o vê como a figura do mediador entre as duas classes.

Porém o pai de Freder, o frio senhor Fredersen (Alfred Abel) tem outra opinião e pede ajuda para o cientista excêntrico Rotwang (Rudolf Klein-Rogge) para fazer algo que acabe com a fé das pessoas em Maria e o homem o faz.

Rotwang havia criado um sofisticado robô de aspecto feminino e ele o modifica para uma aparência idêntica à de Maria, visando semear a discórdia, porém os planos do maléfico cientista e sua abominável criação são ainda mais terríveis do que Fredersen suspeita.

Baseado no livro homônimo de Thea von Harbou, Metrópolis é um impactante filme mudo e em preto e branco de 1927.

Com roteiro da própria von Harbou e dirigido por seu marido na época Fritz Lang, a obra é considerada o primeiro longa metragem de ficção científica já produzido e um dos filmes mais impactantes e influentes de todos os tempos, sendo inspiração para diversas outras obras como Blade Runner, Star Wars e Superman, além de estabelecer muitos conceitos usados até hoje na ficção científica.

Metrópolis é um dos mais impressionantes trabalhos do Expressionismo Alemão e tem um visual muito convincente com as vistas de sua grande cidade. Os efeitos especiais também se destacam, principalmente levando em consideração a época de produção do filme.

A cena de transformação do robô para a falsa Maria, por exemplo, é uma das mais famosas da história do cinema e impressiona até hoje. Outro ponto de destaque é a sua história mostrando o que seria a sétima arte, uma das primeiras representações de um futuro distópico.

E mais ainda, a forte crítica social mostrando os poderosos oprimindo em massa, continua bem atual.Porém apesar de sua enorme qualidade, pode se dizer que o público na época não estava preparado para o teor distópico e crítico do filme, já que Metrólis foi um fracasso de bilheteria.

Uma boa parte do filme se perdeu através das décadas e apenas em 2008, em um museu argentino foram encontrados cerca de trinta minutos da versão original do longa, que assim foi restaurado, ficando com a versão mais parecida possível com a original até então.

Por mais que hoje em dia, um filme mudo e em preto e branco possa parecer não muito interessante á primeira vista, eu posso te garantir que cada minuto de Metrópolis vale muito a pena.